Páginas

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A Zona Costeira do Brasil


... se fará tão soberano que seja um dos Estados do mundo porque terá de costa mais de mil léguas....” (Gabriel Soares de Souza 1587).


 
A zona costeira do Brasil se estende por mais de 9.200 km e apresenta grande diversidade de ambientes que evoluíram durante o período Quaternário em resposta às variações do clima e do nível do mar, suprimento de sedimentos e uma herança geológica (geologia antecedente) que data da separação entre a América do Sul e a África em decorrência do fenômeno da tectônica de placas. Esta combinação de múltiplos controles ambientais atuando em diferentes intensidades e escalas (no tempo e no espaço) produziram paisagens costeiras únicas, no sentido de que é altamente improvável que uma determinada combinação de fatores, atuando com a mesma intensidade, possa ser reproduzida duas vezes no tempo e no espaço.

A Zona Costeira do Brasil, foi subdividida, por J.M.L. Dominguez em seis tipologias básicas que apresentam características únicas. Estas tipologias ilustram a interação de vários fatores como a história antecedente, o suprimento de sedimentos, as variações eustáticas do nível do mar, o tectonismo, a ação das ondas e das marés.
Os nomes utilizados para descrever cada tipologia se referem a feições geográficas ou geológicas intrinsecamente relacionadas a contingências geológicas, ou seja, referem-se à história evolutiva da região. Algumas vezes um modificador associado a um agente de dispersão (ondas ou marés) foi adicionado ao nome da tipologia. São elas, basicamente (clique na figura ao lado para ampliar):

1. A Costa Arenosa com Alimentação Longitudinal do Rio Grande do Sul;
2. A Costa Montanhosa do Sudeste do Brasil
3. A Costa Deltáica Dominada por Ondas do Leste do Brasil
4. A Costa Faminta do Nordeste do Brasil
5. As Costas de Riftes Mesozóicos
6. O Embaiamento de Marés do Amazonas.

Se você tiver interesse em saber mais detalhes sobre esta classificação use este link, para fazer o “download” de uma versão completa deste trabalho (está em inglês). Ao longo das próximas postagens vou apresentar uma  pequena síntese para cada uma destas tipologias básicas.

Legenda da Figura: Principais tipologias da zona costeira brasileira. As setas brancas representam os principais padrões de dispersão de sedimentos no continente e na zona costeira. As linhas tracejadas mostram os principais divisores de água. O continente está representado na forma de um modelo numérico do terreno, onde as cores representam diferentes elevações. Os tons em verde representam as regiões mais elevadas enquanto aqueles em azul representam as áreas mais baixas

2 comentários:

  1. É possível recolocar o arquivo para download ou então realizar uma postagem sobre o "Embaiamento de Marés do Amazonas"?
    Grata. =]
    Thaís

    ResponderExcluir
  2. Olá, seria possível reupar o link do artigo?

    ResponderExcluir